Remessa de Amostras Simbios Biotecnologia

Orientações gerais para a coleta de amostras 

  • Trabalhar com instrumentos e embalagens estéreis ou novos. 
  • Utilizar luvas e trocar a cada procedimento, para evitar a contaminação das amostras ou do próprio técnico.
  • Preencher criteriosamente a requisição com os dados das amostras, indicando as análises a serem realizadas e contatos para esclarecimento de dúvidas e disponibilização dos laudos.
Coleta de órgãos: Coletar as porções ou órgãos inteiros, acondicionar em embalagens plásticas individuais ou frascos coletores estéreis, indicando o tipo de víscera. Enviar refrigerado ou congelado. Suabes de órgãos não devem ser acondicionados em  meios de cultura.

Amostragem: órgãos de no mínimo 5 aves ou suínos/lote, em diferentes estágios da doença . Se possível incluir órgãos de pelo menos 2 animais aparentemente sadios.

Coleta de líquidos: acondicionar em frasco com tampa rosca, com boa vedação. Caso sejam utilizados frascos de vidro, proteger com papel ou plástico bolha, para evitar que quebrem no transporte. Deverá ser enviado no mínimo 300µL da amostra para análise.

Coleta em FTA Card: O material coletado deve ser pressionado sobre o papel, na área dentro do círculo, tomando-se o cuidado de não sujar a área externa ao círculo. Para traqueias e bolsa cloacal, abrir o material e pressionar a parte interna no cartão. Após aplicar a amostra, deixar a membrana exposta para secagem e absorção; depois, anotar as informações - na própria membrana - próximo ao halo, ou no formulário, quando houver, lembrando-se de relacionar cada halo à respectiva informação da amostra. Para amostras internacionais, recomendamos o uso de membranas FTA que garantem integridade e estabilidade da amostra (DNA ou RNA), além de inocuidade (biossegurança/biosseguridade) e da praticidade (postagens em pequenos volumes, com ótima representatividade, com transporte fora do gelo). Os cartões podem ser enviados em temperatura ambiente (inclusive pelo correio).

Coleta de ração, farinhas, matérias-primas: homogeneizar o volume amostrado e acondicionar em saco plástico (não grampear ou perfurar o plástico). Enviar no mínimo 100g do produto a ser analisado. 


Orientações para amostragem

  • A amostragem do lote deve ser abrangente e aleatória, incluindo animais no início dos sinais clínicos e com sinais típicos.
  • Evitar a coleta de materiais de aves já mortas por período mais prolongado de tempo, pois materiais em putrefação ou autólise dificultam a detecção do agente causador de doença.
  • A amostragem deve seguir orientação adequada para que o resultado seja confiável e considere a prevalência estimada.

Evitar:

  • quantidade insuficiente de material,
  • amostras em formol ou parafina e
  • material não relacionado aos sítios de ocorrência e multiplicação do agentes infecciosos.


Orientações para envio do Material

  • Envie junto às amostras o formulário de análises preenchido (ver no menu de serviços, conforme o caso), do lado de fora da embalagem ou protegido, para que se não danifique no contato com o material.
  • Identifique o lote, idade, data de coleta e a análise a ser realizada, nome do responsável, empresa,  telefone e e-mail de contato, com letra legível, com canetas que não se apaguem facilmente (ou utilize etiquetas apropriadas).
  • Acrescente o programa de vacinação, sinais clínicos, achados de necropsia, suspeita clínica para subsidiar o suporte à interpretação dos resultados. 

Embalagem

  • Colocar as amostras em embalagens internas separadas, em sacos plásticos limpos e, se possível, estéreis.
  • Não utilize embalagens inadequadas ou reutilizadas, que possam interferir nas análises.
  • Segregue as embalagens para cada material e lote a ser avaliado (exemplo: pool de traqueias numa embalagem, pool de fígados noutra embalagem, etc.). 
  • Evite materiais mal acondicionados ou embalagens danificadas para evitar vazamentos que podem contaminar outros materiais. 

Embalagem refrigerada

  • Use gelo reciclável, intercalando-o com as amostras para análise, de forma que fiquem firmes e acomodadas. O material a ser transportado deverá ficar entre as camadas de gelo reciclável.
  • Não utilize gelo em barras ou escamas, pois derretem rapidamente, podendo contaminar o material transportado.

Identificação da embalagem

  • A embalagem externa deverá estar com a identificação em local de fácil visualização.
  • Identificar com o remetente e o destinatário, constando o nome, endereço completo e telefone de contato.

Formas de envio

  • A amostra pode ser encaminhada ao laboratório por serviços expressos - SEDEX, FEDEx, outros, ou transportadoras.
  • Para amostras perecíveis, recomendamos o envio nos primeiros dias da semana, para evitar logística de final semana, com prejuízos à refrigeração.


Disponibilização dos Resultados

  • Os resultados serão disponibilizados através do login neste site e poderão ser acessados através de login e senha. 
  • O prazo para liberação dos resultados é 7 dias úteis, a partir do recebimento da amostra em nosso laboratório ou da confirmação das análises quando necessário. No caso de se aplicar teste complementar de maior complexidade, ou mediante  nº elevado de amostras encaminhadas conjuntamente, extensões nesse prazo serão propostas.

Casos de urgência são atendidos em até 3 dias úteis, mediante sobretaxa de 100% do valor da análise.


Informações para o envio

Rua Caí, 541, Vila Princesa Izabel 
94940-030 - Cachoeirinha -RS - Brasil

CNPJ 95.237.301/0001-40
Inscrição Estadual: 177/0189987

Fone: +55  (51) 3074-7400
E-mail: simbios@simbios.com.br